O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente.

Mario Quintana

18 de jan de 2010

Um amor para amar


Prefiro a solidão que me traz a paz,
do que um amor incapaz...
Prefiro a solidão a um amor irresistente,
a primeira chuva fina, a primeira brisa.
quero um amor que enfrente as tempestades,
os vulcões em erupções.
um amor completo, repleto...
Um amor para amar,
jamais um amor pra me fazer calar,
Quero a plenitude ou nada,
o beijo ou nada...
mas o beijo tem que ser tempestade de desejo,
Não quero apenas beijo por beijo!

Magna vanuza

Um comentário:

  1. Eu também quero um amor assim...
    intenso poema, lindo de viver!
    Amei,
    um cheiro minha amada poetisa...

    ResponderExcluir

Adubos