O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente.

Mario Quintana

31 de jan de 2010

No bailar do amor...


Na hora do amor,

Os corpos bailam

Como flores num vendaval

- loucamente!

Ao som da canção dos desejos...

A boca é beijo!

O corpo é cobiça!

E o êxtase:

- Acalma o bailar do amor

magna vanuza

2 comentários:

Adubos