O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente.

Mario Quintana

9 de mar de 2013

esquecimento


Raspa os restos de minha existência,
Proclama meu fim manuscrito,
Joga ao vento minha poesia
lança-me no esquecimento.

Sou árvore sem fruto e flor
Cacto que no deserto brotou
Ergue na minha haste uma tenda
E descansa nos pés da minha dor.

Magna Vanuza Araújo

2 comentários:

  1. "Sou árvore sem fruto e flor
    Cacto que no deserto brotou
    Ergue na minha haste uma tenda
    E descansa nos pés da minha dor"

    Isso me deu uma ideia arquitetônica
    Lindo!

    ResponderExcluir
  2. Triste, lindo, é como me sinto neste momento de minha vida.

    ResponderExcluir

Adubos