O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente.

Mario Quintana

26 de jun de 2012

Dona



Sofro minhas consequências,
chuto meu balde, 
quebro meus cálices.
Ninguém paga minha luz,
ninguém carrega minha cruz,
nem compra meu absorvente.
Minha coleira é de sentimentos
 E me prende quem sabe como
colocá-la.

Magna Vanuza Araújo
[Direitos Reservados]

Um comentário:

  1. mulher independente,
    confiante e bem resolvida.

    ResponderExcluir

Adubos