O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente.

Mario Quintana

4 de jul de 2010

A Direção do Amor



Tentando encontrar-te:
-Amor...
Esqueci de regar as flores
que enfeitavam o jardim do meu quintal
-Elas murcharam,
Beleza mortal...

Tentando te possuí,
Escureci meus dias
trancada em mim mesma,
e acendi um candelabro
Em minh'alma.

procurei-te também na lua,
Quando estavas assistindo
ao nascer do sol.
Fui Poente;
Enquanto eras recomeço
de uma linda manhã.

Achei que te encontraria,
Num belo jardim de flores,
borboletas e pássaros,
mas, eras cacto feliz num solo árido!

E quando já havia
Desistido de encontrar-te:
Peguei na tua mão,
Quando atravessavas à rua do meu lado direito.
De bengala, corcunda e cabelos brancos.

Então eu disse:
-Amor...és tu?
-Por onde andastes esse tempo todo?
E ele, pacientemente, calmamente me sorriu
e disse:

-Sempre a tua direita
mas, foi à esquerda a tua direção.

Magna Vanuza Araújo


Este Texto está contido na Coletânea Poética Novos Poetas do Cariri Paraíbano,
Organizado Pela ABES - Associação Boqueirãense de Escritores.


3 comentários:

  1. Delicadeza e diversidade.

    Coragem e entrega.

    Sua página é bela.

    ResponderExcluir
  2. cuore che ama
    As curtas horas de Romeu
    Autor: Orácio Felipe
    Sinopse:
    - Mas que dor as horas retarda de Romeu? - Não ter aquilo que, se o tivesse, as deixaria curtas.

    www.clubedosautores.com.br

    ResponderExcluir
  3. ameeeeei!!! muito linda!!!

    ResponderExcluir

Adubos