O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente.

Mario Quintana

15 de set de 2009

Sempre te amei...

Eu sempre te amei...
Te amei em meu ventre,
Antes de seres forma alguma...
Fui te mando cada dia,
enquanto a minha barriga crescia,
quanto mais o meu fôlego sucumbia,
mais te amava,
Amava sem te conhecer.
Não tirei nenhma foto, não tinha enxoval..
Tinha amor, que logo apareceu em forma de barrigão,
amor que nasceu em forma de menina!
Meus olhos brilharam ao te ver pela primeira vez,
mas foi amor de formação,
pois já te conhecia do lugar mais profundo do eu ser... dentro de mim!
Todos os momentos foram únicos,
nem imaginava o tamanho da importância de cada um deles...
Você cresceu e já não era a menina que mamava em meu seio,
Ganhaou personalidade,
vontade e se tornou você,
simplesmente você,
essa pessoinha que tanto amo.
Mães amam incondicionalmente sabia?
É assim que te amo e te agradeço por ter estado do meu lado sempre,
Mesmo quando minha vida parecia ter desmoronado.
Se depender de mim, vc será a pessoa mais feliz do mundo!
TE AMO DEMAIS MINHA GAROTINHA SAPECA!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adubos