O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente.

Mario Quintana

2 de dez de 2011

Saudade




No peito há saudade
confusa em seus delitos

mas saudade.

Às vésperas do que não foi dito
vil espera, conflitos
Eu vivo

Com medo de sentir
a velha dor do amor
não correspondido
Aquela que mata
enquanto alimenta.

Isso só aumenta?

Magna Vanuza Araújo

2 comentários:

  1. às vezes aumenta...
    mas há coisas que a gente inventa
    e acredita que sente, mas na verdade, não sente.
    Aí acaba e depois a gente ri.
    Gostei muito!
    Bruno Rezende

    ResponderExcluir

Adubos