O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente.

Mario Quintana

16 de out de 2011

Exuberância


Eis que se curva exuberante
no céu rubro...

-Pôr-do-sol-

Eis que se deita exuberante
sobre as águas do Epitácio
Coberto pelos raios rubros
refletidos nas águas calmas.

Os pássaros contemplam
As plantas se curvam,
os anjos cantam um louvor
exaltando o Criador...

É uma grandeza serena,
que se despede do dia
trazendo uma paz imensa,
repleta de Poesia!

Magna Vanuza Araújo
|Direitos Reservados|

*Imagem: Karen Evellyn

Um comentário:

  1. Contemplei também os poeminhas da barra lateral...
    lá vai meu pensamento, Ser e horas exatas.

    ResponderExcluir

Adubos